domingo, 2 de setembro de 2012

ROTEIRO - STORYBOARD - PERSONAGENS

PAPER MOTION:  Inspirações -





















http://www.animaescola.com.br/media/arquivos/cartilha%20Anima%20Escola.pdf




CARTILHA DO ANIMA ESCOLA :


Retirado do blog - http://blog.ericksouza.com/8/

Desenhos Animados - Roteiro, Storyboard e Personagens



E agora? Por onde começar uma animação?  Muitos estudantes de animação simplesmente abrem o software de animação e as desenvolve de acordo com o que vem a mente, e esta não é a maneira correta de iniciar um desenho animado. É como começar a construir uma casa sem a planta ou pelo telhado.    Nós vamos utilizar o MUAN.
As etapas inicias são o desenvolvimento do roteiro, storyboard e personagens. 

Roteiro

Roteiros para Desenhos Animados
É onde descrevemos objetivamente cenas, seqüências, diálogos e indicações técnicas de nossas criações.
Animar é um processo complexo, e nosso trabalho pode se tornar muito mais agradável se o fizermos corretamente. O roteiro é uma etapa de grande importância, indispensável, afinal é aqui que se expõem as idéias e as organizam, e mesmo sabendo disto muitos a ignoram por considerá-la perda de tempo, coisa para perfeccionistas.
Basicamente para se escrever um bom roteiro deve-se prever o que os espectadores vão pensar e com base nisto surpreender, emocionar, divertir e prender a atenção.
Se você estiver se perguntando como prever o que os espectadores vão pensar, a resposta é simples, os engane, faça-os pensar o que você quiser. Por exemplo, em um desenho qualquer durante uma luta entre dois personagens, um deles é morto, e o que venceu se engradesse por ter ganho, mas é surpreendido quando descobre algum ferimento letal que foi causado durante o combate e morre, enquanto o outro que pensávamos estar morto, estava apenas caído. Este exemplo é muito visto tanto em desenhos, como filmes, seriado e outros, usando a criatividade podemos aplicar esta idéia a muitas situações e não apenas a um luta.
Há outras formas de se “ganhar” um espectador, apresentar alguma situação que deva ser explicada posteriormente é um bom caminho para prender a atenção de seus espectadores. É um meio simples, mas que se bem explorado pode se impressionar muito. Como por exemplo, no filme “O Júri”, que começa com algumas cenas de uma festa de aniversário e em seguida o filme nos leva a um novo quadro sem nos explicar o objetivo daquela cena, o qual nos é revelado mais a frente.
O Rei Leão 3
Eu gostei muito da introdução do filme O Rei Leão 3, Hakuna Matata, apesar de não ter nada de especial. Começa exatamente como o primeiro e foi o que me chamou a atenção*, logo em seguida ouve-se a voz do Timão (suricate) e do Pumba (javali) discutindo, a cena é expandida, e nos revela uma sala de cinema**, em seguida depois de uma discussão bem humorada***, os dois decidem que o filme deve começar onde tudo começou, de acordo com o Timão o primeiro filme não começa no início, confuso não? A história é a mesma do primeiro filme, mas visto pelo Timão, o que torna tudo muito diferente e muito divertido. Embora este filme já tenha sido lançado há algum tempo, acredito que muitos ainda não o assistiram, recomendo.
* curiosidade / ** surpresa / *** humor
Observe abaixo a estrutura de um roteiro, que apesar de ser de um filme, vale para as animações, pois a estrutura é a mesma.
CENA 1 - SUPERMERCADO - INTERIOR/DIA
ANDRÉ, 18 anos, magro, roupas simples, mochila nas costas, está na fila de um caixa de supermercado. Atrás dele, um HOMEM, 50 anos, com dois pacotes na mão. Atrás do homem, uma SENHORA, 40 anos, e uma CRIANÇA de 5 anos, com um carrinho cheio de compras. André tira do bolso sua a carteira de dinheiro enquanto a MOÇA do caixa, 18 anos, vai passando as compras de André: esponja para lavar pratos, detergente, leite, pão, margarina, fósforos. André confere o dinheiro na carteira.
ANDRÉ
Quanto deu até agora?
MOÇA
Oito e vinte e cinco.
ANDRÉ
Tudo bem.
Ela passa a carne e registra.
ANDRÉ
Quanto?
MOÇA
Onze e trinta.
ANDRÉ (surpreso)
Quanto é a carne?
MOÇA
Três e cinco.
[CONTINUA]
Este é um trecho do roteiro do filme “O Homem que Copiava“, de Jorge Furtado - julho/ 2001.
No início é indicado que esta é a cena de número um, que se passa em um supermercado, no seu interior, durante o dia. Em seguida pode-se ver uma breve descrição da cena, e logo abaixo os diálogos e observações.
Este e outros roteiros você pode encontrar no site Roteiros de Cinema.

Storyboard

Visualizar um filme através de um roteiro é muito difícil, e passar a idéia para o cliente é ainda mais problemático, e por este motivo que surgiu o storyboard, que é o roteiro desenhado em quadros, semelhante aos quadrinhos, porém não possuem balões de fala.
Traduzindo, “story” significa história e “board” que pode ser quadro, tábua, placa. Esta tradução justifica-se pelo fato dos artistas esboçarem o roteiro e os fixarem em uma placa com tachinhas. Os artistas substituirão os desenhos e re-editarão o storyboard conforme visualizam e os alteram para adicionar suspense, humor, etc. Um ótimo exemplo pode ser visto no bônus do DVD duplo do filme “Procurando Nemo”, onde os artistas da Pixar mostram como foi feito o processo de criação do storyboard do filme.
Segue uma seqüência do storyboard do filme “A Mulher Gato” por Mark Moretti.
A Mulher GatoA Mulher Gato
A Mulher GatoA Mulher Gato
A Mulher GatoA Mulher Gato
A Mulher Gato
Veja mais: Este e muitos outros storyboards você pode encontra no site Famous Frame, vale a visita.

Desenvolvimento dos Personagens

Desenvolver personagens geralmente é muito divertido, e não é apenas desenhar uma figura, cada personagem tem sua forma de acordo com sua personalidade. O animador deve conhecer bem as características de seus personagens para poder construí-los usando as melhores formas. Existem vários tipos de personalidades, como por exemplo, o fortão, bonitinho e a mocinha má.
Vou usar o filme “Os Incríveis” da Pixar e extrair um personagem do tipo brutamontes para analisarmos como é a forma do mesmo.
Sr. Incrível - O FORTÃO
Independente do estilo do desenho, geralmente apresentam cabeças pequenas, peito grande e quadril pequeno.
Sr. Incrível
Mas o que realmente importa neste artigo é orientá-los a dividir seus personagens em partes com o intuito de se agilizar o processo de desenvolvimento de nossas animações reaproveitando as parte já criadas. Pode-se dividir pernas, braços, cabeça, boca, olhos, etc.
A grande vantagem de se dividir os personagens em partes, é pelo fato de uma animação necessitar em média de 15 desenhos para se obter 1 segundo de filme, se você utiliza o programa da Adobe, o Flash, este valor é configurado no FPS (ctrl+j) do arquivo, desta forma reaproveitando o máximo possível de partes podemos ganhar muito tempo em produção.
Observe o exemplo abaixo.
Cartoon
Desenvolvimento de personagens pode-se estudar com o Preston Blair, em seu livro de animação, Cartoon Animation, eu recomendo, é um bom livro.

 Indicações de alguns livros, segue alguns títulos.
Cartoon Animation - por Preston Blair.
Escrito por um dos grandes animadores dos estúdios Walt Disney. Recomendo.
Cartoon Animation
The Animator”s Workbook - por Tony White.
Discussão de ferramentas e material usado, Ações Exageradas, Efeitos Especiais, etc.
The Animator's Workbook
Animation from Script to Screen - por Shamus Culhane.
Do animador dos anões de Branca de Neve.. precisa dizer mais alguma coisa? Aborda o desenvolvimento da animação do início ao fim.
Animation from Script to Screen
The Illusion of Life: Disney Animation - por Ollie Johnston e Frank Thomas.
Técnicas de animação utilizadas pelos Estúdios Walt Disney, este é o tema abordado por este livro.
The Illusion of Life: Disney Animation
Acting for Animators - por Ed Hooks, Brad Bird e Mike Caputo.
Sobre atuação dos personagens na animação. A capa ilustra bem o tema.
Acting for Animators
Estes abaixo são mais básicos, recomendados para crianças.
Everything You Wanted to Know About Cartooning But Where Afraid to Draw - por Christopher Hart
Everything You Wanted to Know About Cartooning But Where Afraid to Draw
Bill Barry Presents How to Draw Animation Storyboards: A Step by Step Guide - por Bob Singer
Guia de animação.
Estes livros podem ser adquiridos também no Submarino e no Amazon.

Na nossa 1a. aula :
.Começamos com um exercício livre da “dobradinha”, animação feita em uma tira de papel dobrada com apenas 2 desenhos. A partir disso, vamos fotografar e montar apresentação no movie maker. Gostaria de exibir para os alunos  alguns filmes como exemplo: os primeiros filmes de Blackton, feitos em 1900 e 1906, e depois o meu tambem jurássico “Animando”, de 1983. Vou tentar construir um Zootrópio para trabalhar com 16 desenhos. Já consegui uma mesa de luz que dá para uns 3 trabalharem ao mesmo tempo. Eles pareceram ficar bem animados com os resultados. A próxima aula será criar um flipbook com cerca de 50 desenhos e trazer ideias para cenas de animação do grande projeto Na proxima aula faremos O Storyboard.


Um comentário:

Dicas de Arte na Escola disse...

Boa noite, estou divulgando mais um novo blog sobre arte gostaria de deixar o endereço e se puder compartilhar seria muito bacana:

www.dicasartenaescola.blogspot.com.br

Obrigada

att
Juliana Vicentin